Chris Pettro é Farmacêutico, DJ, Produtor Fonográfico e Diretor de Arte no Programa Rogério Azevedo na TV

A Corrida pela Imunidade

Um alerta para o excesso de multivitamínico.

Nunca se falou tanto em imunidade como nos últimos tempos. Afinal, o mundo passou por uma forçada mudança de comportamento em que a saúde, através da imunidade, se tornou foco para o bem-estar pessoal e coletivo.

Para manter o organismo saudável e resistente às doenças, é fundamental seguir uma alimentação equilibrada, variada e o mais natural possível, manter a prática moderada de atividades físicas, bons hábitos de sono e controlar o estresse.

Entretanto, com o cenário da pandemia e o confinamento, desencadearam alterações importantes e muitas vezes ruins no estilo de vida dos brasileiros a capacidade de defesa do organismo foi um dos principais impactos.

A deficiência na ingestão de vitaminas e minerais resulta em sinais bem claros no organismo como cansaço físico e mental excessivo, depressão, distúrbios do sono, prostração física, ausência total do apetite náuseas, vômito ou diarreias frequentes, perda ou ganho de peso, repentino muita queda de cabelos e unhas frágeis.

Além disso, a crescer o organismo fica mais suscetível as infecções oportunistas como febre e calafrios frequentes, doenças simples que ficam graves como gripes que duram semanas, infecções respiratórias, herpes, cistite, candidíase de repetição e dificuldades na cicatrização de ferimentos.

Entenda os riscos

Hoje em dia, tudo, desde água engarrafada ao suco de laranja, parece ter níveis elevados de vitaminas e minerais. Isso pode soar como uma maneira de ajudar a cobrir suas bases nutricionais, especialmente se sua dieta for equilibrada. Mas, receber rotineiramente uma sobrecarga de vitaminas e minerais pode prejudicá-lo.

Embora a maioria das pessoas não esteja recebendo megadoses de vitaminas e minerais, se você ingerir um café da manhã fortificado com cereais, comer uma barra energética entre as refeições tiver macarrão enriquecido para o jantar e tomar um suplemento diário, você pode facilmente ultrapassar a ingestão diária recomendada de uma série de nutrientes.

Entre todos os nutrientes a vitamina C é a mais buscada para ajudar na imunidade. E não é por menos. Além de fortalecer o sistema imunológico ela é um potente antioxidante, possui funções importantes para o Sistema Nervoso Central, ajuda na absorção de ferro e até mesmo na redução da sensação de cansaço.

Como o corpo não consegue produzir ou estocar a vitamina C, é muito importante incluir alimentos fontes desse importante nutriente no dia a dia. Entretanto, o excesso pode causar diarreia, cólicas, dor abdominal e dor de cabeça.

Se o suplemento a base de vitamina C for do tipo efervescente, ha risco de desenvolvimento de cálculo renal pelo excesso de oxalato de cálcio presente nesse tipo de apresentação farmacêutica, portanto, quando necessário opte por ingerir o suplemento de vitamina C efervescente por poucos dias e escolha a apresentação em comprimidos para usos mais longos.

O mesmo acontece com a vitamina D. Pela falta de sol durante meses na quarentena, muitas pessoas buscam suplementar esse nutriente. Embora o risco de intoxicação seja raro, doses muito altas podem causar insuficiência renal aguda e calcificação dos vasos sanguíneos e válvulas cardíacas.

A dose máxima tolerada para adultos é de 2000 UI por dia e metade disso para crianças. Por isso, quem está sem a possibilidade de visitar o médico ou nutricionista a opção mais segura é procurar um farmacêutico e escolher um polivitamínico de boa procedência e próprio para faixa etária para ser consumido conforme indicação do rótulo.

Para fortalecer o sistema imunológico é ideal consumir alimentos ricos em vitaminas A B2 B6 B12 e ácido fólico que exercem papéis vitais na imunidade.

No entanto, não é difícil obter mais de 1.000 microgramas de ácido fólico por dia (o limite máximo seguro para adultos) com alimentos fortificados e suplementos regularmente. Isso pode ocultar os sinais de deficiência de vitamina B12 em adultos mais velhos. A deficiência de vitamina B12 às vezes pode levar a danos permanentes nos nervos se não tratada.

O ácido fólico é adicionado a produtos de grãos enriquecidos (farinhas brancas, massas, arroz, pães e cereais) para ajudar a prevenir defeitos de nascença em bebês devido à deficiência de ácido fólico em mulheres grávidas. Embora a fortificação com ácido fólico tenha reduzido o número de defeitos congênitos ela pode ter criado outros problemas de saúde em pessoas que ingerem demais.

Fica a Dica

As vitaminas são essenciais para o funcionamento do organismo, mas, necessárias em pequenas quantidades diárias conforme idade e biótipo. Provavelmente, os alimentos não fortificados que você come todos os dias não são um problema. É muito difícil exagerar apenas com comida, portanto, você deve pensar nos suplementos que toma e nos alimentos ou bebidas fortificados.

A maioria dos multivitamínicos tem uma margem de segurança tão ampla que, mesmo a combinação com alimentos fortificados, não irão trazer riscos a sua saúde. Opte por um multivitamínicos que não ofereçam mais do que o valor diário. (O valor diário é a quantidade de uma vitamina ou nutriente que uma pessoa deve obter para uma saúde ideal).

Apesar de a maioria das vitaminas não exercerem um risco potencial a vida em casos de intoxicação, os efeitos deletérios podem silenciosamente trazer problemas sérios em longo prazo. Converse com um médico, farmacêutico ou nutricionista sobre os polivitaminicos que você está tomando, incluindo quais vitaminas e minerais, e a dose que está ingerindo. Dessa forma, você irá a manter as doses em um intervalo seguro.

Chris Pettro é Farmacêutico, DJ, Produtor Fonográfico e Diretor de Arte no Programa Rogério Azevedo na TV
Para mais informações: (88) 9.9606-5459

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros